Facebook Twitter Google +1     Admin

revista Motricidade número 3 (vol. 7 - 2011)

20110924045457-banner-ml-motri.jpg

É com muito agrado que informo que o número 3 (vol. 7 - 2011) da revista Motricidade já está disponível para consulta em http://www.revistamotricidade.com/pt/ed_actual.html

A revista Motricidade (ISSN 1646-107X) é um periódico de acesso livre/aberto (open access) que publica trabalhos centrados nas áreas das ciências do Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano, contribuindo para o desenvolvimento e disseminação do conhecimento científico de caráter teórico e empírico no âmbito da atividade física e saúde, da perfomance humana, assim como nos domínios científicos associados ao desenvolvimento humano, com particular ênfase na Psicologia.

As normas para autores ou outras informações podem ser consultadas em http://www.revistamotricidade.com/

Com os melhores cumprimentos,

Equipa Editorial da Revista Motricidade

Novos objectivos e desafios para o futuro da Revista Motricidade

New goals and challenges for the future of Journal Motricidade

J. Vasconcelos-Raposo, H.M. Fernandes

Motricidade 2011, vol. 7, n. 3, pp. 1-2 [editorial]

Influência da dançaterapia na mobilidade funcional de crianças com paralisia cerebral hemiparética espástica

Influence of dance therapy on the functional mobility of children with spastic hemiparetic cerebral palsy

D. C. Garção

Motricidade 2011, vol. 7, n. 3, pp. 3-9

RESUMO

O objetivo deste estudo foi investigar a influência da dançaterapia na mobilidade funcional de crianças com paralisia cerebral hemiparética espástica. Participaram 10 crianças de sexo feminino, com idade média de 7.2 anos (± 1.2 anos) e diagnóstico de paralisia cerebral. Para avaliar a mobilidade funcional, utilizaram-se as dimensões D (em pé) e E (andar, correr e pular) da escala GMFM. Foram realizadas duas etapas, a primeira composta por seis semanas, em que as pacientes não eram submetidas a intervenção motora (etapa controle), e a segunda composta por 18 sessões de dançaterapia. As crianças foram avaliadas três vezes durante a pesquisa, sendo a primeira (I) antes da etapa controle; a segunda (II) após a fase controle; e a terceira (III) ao término da aplicação da dançaterapia. Os dados das dimensões D e E nas três avaliações foram analisados por meio do teste Kruskal-Wallis (p < .05), seguido do teste Dunn (p < .05). Nas duas dimensões, constatou-se que não houve mudança dos desempenhos entre a avaliação I e II (p = 1.00), permanecendo os participantes com itens similares. Entretanto, na avaliação III observou-se um aumento significativo em relação aos desempenhos das avaliações I e II para a dimensão D (p < .01) e E (p < .01). Os resultados demonstram que a dançaterapia propicia estímulos que influenciam a mobilidade funcional.

ABSTRACT

The aim of this study was to investigate the influence of dance therapy on the functional mobility of children with spastic hemiparetic cerebral palsy. Ten female children (mean age 7.2 ± 1.2 years) diagnosed with cerebral palsy were included. In order to evaluate their functional mobility, standing (D) and walking, running and jumping (E) dimensions from GMFM were applied, and measurements were carried out in two phases: 1) control, six weeks without any motor intervention, and 2) activity, 18 sessions of dancing. Children were assessed three times: first, before the control phase, second, after the control phase, and third, at the end of the dancing phase. Kruskal-Wallis (p < .05) and Dunn tests (p < .05) were used. There were no changes in performance between the two first phases of evaluation (p = 1.00), however, at the end of the dancing phase a significant increase was measured in relation to D (p < .01) and E dimensions (p < .01). Results showed that dance therapy influences children's functional mobility.

Efeitos da música eletrônica nos sistemas neuromuscular, cardiovascular e parâmetros psicofisiológicos durante teste incremental exaustivo

Electronic music effects on neuromuscular and cardiovascular systems and psychophysiological parameters during exhaustive incremental test

B. P. C. Smirmaul, J. L. Dantas, E. B. Fontes, A. C. Moraes

Motricidade 2011, vol. 7, n. 3, pp. 11-18

RESUMO

O objetivo do presente estudo foi analisar o efeito da música sobre respostas fisiológicas e psicofisiológicas, assim como sobre a potência máxima alcançada durante um teste incremental. Uma amostra de 10 indivíduos saudáveis (20.8 ± 1.4 anos, 77.0 ± 12.0 kg, 179.2 ± 6.3 cm) participou deste estudo. Foram coletadas a atividade eletromiográfica (músculos Reto Femoral − RF e Vasto Lateral − VL), a frequência cardíaca (FC), a percepção subjetiva de esforço (PSE), a percepção subjetiva de tempo (PST) e a potência máxima alcançada (PMax) durante as situações com música (CM) e sem música (SM). Os indivíduos completaram quatro testes incrementais máximos (TIMax) do tipo rampa em um ciclossimulador com uma carga inicial de 100 W e aumentos de 10 W·min-1. As médias dos valores de PMax entre as situações SM (260.5 ± 27.7 W) e CM (263.2 ± 17.2 W) não apresentaram diferença significativa. A comparação entre as taxas de aumento dos valores expressos em root-mean-square (RMS) e frequência mediana (FM) para os dois músculos (RF e VL) também não apresentaram diferença significativa, assim como a FC, PSE e PST. Conclui-se que a música eletrônica durante um teste incremental até a exaustão não surtiu efeito sobre as variáveis analisadas para o grupo investigado.

ABSTRACT

The aim of this study was to analyze the music effects on physiological and psychophysiological responses, as well as on the maximum power output attained during an incremental test. A sample of 10 healthy individuals (20.8 ± 1.4 years, 77.0 ± 12.0 kg, 179.2 ± 6.3 cm) participated in this study. It was recorded the electromyographic activity (muscles Rectus Femoris − RF and Vastus Lateralis − VL), heart rate (HR), rating of perceived exertion (RPE), ratings of perceived time (RPT) and the maximum power output attained (PMax) during music (WM) and without music (WTM) conditions. The individuals completed four maximal incremental tests (MIT) ramp-like on a cycle simulator with initial load of 100 W and increments of 10 W·min-1. The mean values of PMax between conditions WTM (260.5 ± 27.7 W) and WM (263.2 ± 17.2 W) were not statistically different. The comparison between the rates of increase of the values expressed in root-mean-square (RMS) and median frequency (MF) for both muscles (RF and VL) also showed no statistical difference, as well as HR, RPE and RPT. It is concluded that the use of the electronic music during an incremental test to exhaustion showed no effect on the analyzed variables for the investigated group.

Efeitos de tarefas cognitivas no controle postural de idosos: Uma revisão sistemática

Effects of the cognitive tasks in the postural control of elderly: A systematic revision

L. P. Andrade, F. Stella, F. A. Barbieri, N. M. Rinaldi, A. Y. Y. Hamanaka, L. T. B. Gobbi

Motricidade 2011, vol. 7, n. 3, pp. 19-28

RESUMO

A demanda exigida de atenção para a manutenção do equilíbrio postural aumenta com o processo de envelhecimento, principalmente quando são realizadas duas ou mais tarefas concomitantes que exijam processamento mental. Trabalhos que têm abordado os efeitos de tarefas cognitivas no controle postural variam de acordo com o tipo da tarefa cognitiva executada e com o processo de envelhecimento, com possível interação destes dois componentes. O objetivo desta revisão foi identificar e analisar artigos publicados sobre os efeitos de tarefas cognitivas no controle postural de idosos. Para tanto, realizou-se uma busca sistemática nas seguintes bases de dados: Web of Science, SportDiscus, CINAHL, Science Direct on line, Biological Abstracts, PsycINFO e Medline. Foram encontrados 444 artigos, dos quais oito foram selecionados de acordo com os critérios de inclusão e exclusão previamente definidos. As publicações mostraram que o controle postural tende a ser influenciado por tarefas cognitivas do tipo atenção e que, em idosos, este fenômeno pode estar associado ao aumento no risco de quedas. Sugere-se que a maior tendência de ocorrer quedas em idosos é devido à execução simultânea de controle motor e processamento cognitivo que aumenta o grau de complexidade da tarefa.

ABSTRACT

Demanding attention in order to keep postural balance increases with aging and with the presence of concurrent tasks that require information processing. Several studies have demonstrated that motor performance can be related to the complexity of the task and aging process, presenting a possible interaction between these factors. The aim of this review was to identify and analyze published papers about the effects of cognitive tasks on the postural control of elderly individuals. A systematic search in the Web of Science, SportDiscus, CINAHL, Science Direct on line, Biological Abstracts, PsycINFO, and Medline databases was made and 444 articles were found. Eight were selected that studied the variables of interest. These studies showed that postural control seems to be influenced by the individual's attention processes and that deficits in such ability may be associated to an increased risk of falls.

Efeito agudo da suplementação da cafeína no desempenho da força muscular e alterações cardiovasculares durante o treino de força

Acute effect of caffeine supplementation on performance of muscular strength and cardiovascular changes during resistance training

W. Materko, E. L. Santos

Motricidade 2011, vol. 7, n. 3, pp. 29-36

RESUMO

A proposta do presente estudo foi avaliar o efeito agudo da cafeína no desempenho da força muscular, paralelamente a possíveis alterações hemodinâmicas ao longo de uma sessão de treino de força muscular. Treze homens, experientes em treino de força, realizaram um protocolo de 3 sets de 10 repetições máximas (10RM) nos exercícios supino reto (SR), puxada pela frente no pulley (PP), cadeira extensora (CE) e mesa flexora (MF) segundo três procedimentos: sem suplementação (C), com suplementação de 250 mg de cafeína (S) e placebo (P). Após avaliação antropométrica, procedeu-se a um teste de 10RM de familiarização. Realizaram-se medidas hemodinâmicas antes, durante e no final de cada sessão – frequência cardíaca (FC) e pressão arterial (PA) – mantendo intervalos de 48h, cada voluntário realizou mais três sessões de 10RM, quando se procedeu, aleatoriamente, a administração de C, S ou P. Encontraram-se diferenças significativas para a carga de 10RM nos exercícios SR e CE, em comparação às intervenções S e C. Nenhuma diferença na FC ou PA foi registrada entre todos os procedimentos. Em conclusão, os resultados do presente estudo sugerem que a cafeína exerce um efeito ergogênico sobre a força muscular submáxima ao longo de uma sessão de treino de força.

ABSTRACT

The purpose of the present study was to evaluate the acute effect of caffeine on the muscular strength performance in addition to the possible hemodynamic changes during a strength training session. Thirteen strength training experienced male subjects were submitted to a protocol of three sets of 10RM for bench press (BP), pull press (PP), leg extension (LE) and leg curl (LC), according to three conditions: no supplementation (C); 250 mg of caffeine supplementation (S); placebo (P). All subjects were submitted to an anthropometric evaluation, followed by a 10RM familiarization test. Hemodynamic measurements – heart rate (HR) and blood pressure (BP) – were carried out before, during and after each session. Holding 48 hours time intervals, participants were submitted to three randomly presented 10RM tests according to C, S and P conditions. For conditions S and C, significant differences were found in BP and LE. No significant differences in HR and BP were found. Results seem to suggest an ergogenic effect of caffeine on submaximal muscle strength during a session of strength training.

23/09/2011 23:54 ucha #. sin tema

Comentarios » Ir a formulario

No hay comentarios

Añadir un comentario



No será mostrado.





La Bitácora del Dr. Ucha

Temas

Archivos

Enlaces


Blog creado con Blogia. Esta web utiliza cookies para adaptarse a tus preferencias y analítica web.
Blogia apoya a la Fundación Josep Carreras.

Contrato Coloriuris