Facebook Twitter Google +1     Admin

Nível de satisfação em pessoas adultas acima de 4o anos quanto ao objetivo com a atividade física orientada na academia star fitness-ro (4)

20081022040909-slide0001-image001.png

Figura 3. Demonstrativo dos objetivos em relação ao nível de satisfação quanto à atividade física e quantidade de pessoas em cada nível.

A figura 3 indica que no objetivo Saúde Geral; 14 dos 15 pesquisados determinaram como principal objetivo a Saúde, sendo que dos 14 pesquisados 10 estão satisfeitos e 4 estão pouco satisfeito. No objetivo da estética; dos 15 pesquisados, 8 pesquisados indicaram como aspecto determinante a estética, dos quais 4 estão pouco satisfeito, 2 estão satisfeito, 1 não estar satisfeito e 1 estar muito satisfeito. Quanto ao objetivo Anti-stress; somente 1 dos 15 pesquisados indicou como objetivo na atividade física e estar satisfeito. No objetivo Sentir-se mais disposto; 2 dos 15 pesquisados indicaram como determinantes no objetivo para a prática na atividade física, no qual 1 estar satisfeito e o outro estar muito satisfeito.  E no objetivo Recomendação médica; dos 15 pesquisados, 8 pesquisados indicaram como objetivo para a prática da atividade física, em que 3 dos pesquisados estão pouco satisfeitos, 3 estão satisfeito e 2 dos pesquisados estão muito satisfeitos.

A partir desta análise dos gráficos verificou-se que a maioria encontra-se em nível satisfatório quanto aos seus objetivos na atividade física.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Tendo em consideração os resultados obtidos concluir-se que as pessoas praticantes de atividade física orientada têm percepção positiva em relação aos objetivos e o nível de satisfação com a mesma. Evidenciou-se ainda que somente o objetivo Saúde Geral foi indicado por 14 dos 15 pesquisados e que estão satisfeitos com os resultados. Portanto a maior parte dos pesquisados na academia Star Fitness, indica um nível de satisfação em relação ao seu objetivo.

Os resultados obtidos na presente pesquisa apontam para a importância de programas de atividade física desenvolvidos em que se relacionam com os objetivos dos seus praticantes. O oferecimento dessa prática programada conforme o objetivo está relacionado ao aumento da satisfação com a atividade física orientada. Além dos benefícios físicos e psicológicos, a atividade física mostra-se importante, pois oportuniza as pessoas a socialização, possibilidade de novas amizades e exposição da sua criatividade e potencialidades.

A presente pesquisa permitiu compreender a aplicação do formulário e contribuir nas execuções dos programas a serem elaborados para a prática da atividade física nos sujeitos pesquisados, quanto a sua complexidade e eficiência.

A funcionalidade da aplicação dos programas teve sua contribuição no acompanhamento da atividade física e nos aspectos psico-social das pessoas que se estava pesquisando. É importante ressaltar que os programas foram de preparação com característica bem diferenciada e individual para cada pesquisado.

O objetivo dessa pesquisa era oferecer instrumento que possibilitasse o resgate do objetivo inicial se relacione com a atividade física de forma consciente para obtenção na melhoria das capacidades biológicas, psicológicas e sociais de pessoas adultas. RAMOS (2002, p.72), diz que é muito diferente o movimento que uma pessoa realiza em suas funções do cotidiano, para o grau de necessidade que este movimento implica, e isto pode acarretar em sua auto estima. 

O psicólogo Wiliam James, citado por HOFFMAN & HARRIS (2002, p.240), escreveu que "a principal descoberta... é que os seres humanos, por mudarem as atitudes internas de suas mentes, podem alterar os aspectos externos de suas vidas".

Cabe ao profissional de Educação Física atentar para os infinitos elementos que interferem no processo das atividades físicas: motivação, concentração, disposição, anti-stress e fatores externos.

A visão é que a aquisição de tais elementos se desenvolve a partir de um conjunto de processos adquiridos no decorrer do programa bem orientado e acompanhado a cada etapa, de forma que seja oportunizado por motivação construtiva respeitando a individualidade de cada um, como resultado a melhoria da qualidade de vida, em bases seguras contribuindo para idosos independentes nas suas tarefas diárias.

Assim, é possível, analisar o quanto é importante à sensibilidade para com a pessoa idosa, pois demograficamente, haverá muito mais idosos no Brasil em 2025 e quase o dobro em 2050, "uma mudança tanto quantitativa como qualitativa (...) tornando assim uma população que a cada dia tem expectativas e metas a serem alcançadas", MANIDI/MICHEL (2001, p.17).

MORENO (2003, p.11) "observa que na evolução do homem sua estrutura foi se alterando e adaptando à necessidade para a sobrevivência".

Os resultados permitem concluir que uma prática regular de exercícios físicos, compostos de variáveis, se bem controladas, produz efeitos benéficos como o aumento na força e da massa muscular de pessoas idosas e, conseqüentemente, melhorar suas capacidades físicas. Foi relevante a verificação da aplicação do formulário para verificação do nível de satisfação quanto a prática da atividade física.  

As análises dos resultados coletados na pesquisa mostram claramente que os níveis de satisfação foram melhores e com isto influenciado na Atividade física orientada nos pesquisados. A independência do indivíduo adulto para a prática da atividade física e execução das suas tarefas diárias é necessária. E com isto a importância de que o profissional de Educação Física adote uma conduta de cuidado e atenção nas aplicações das atividades físicas, nunca esquecendo que ele deve expressar suas necessidades nas mais diversas formas do corpo, expressões do rosto, tristeza, sorriso, o olhar, gestos insistentes ou ausência de sinais e até mesmo o silêncio. RODRIGUES (1996, p.44).

Espera-se também que estes resultados possam estimular pessoas adultas acima de 50 anos a aderirem a programas de atividades físicas, adotando um estilo de vida ativo e conseqüentemente um envelhecer com saúde e qualidade de vida.

REFERÊNCIAS

BARBOSA, Rita Maria dos Santos Puga. Educação Física Gerontológica - Rio de Janeiro, RJ: Sprint, 2002.

BEE, Helen. O Ciclo Vital; trad. Regina Garcez. - Porto Alegre: Artmed, 1997.

CORAZZA, Maria Alice. Terceira idade e Atividade Física. - São Paulo, SP: 2ª Ed. Phorte, 2005.

FERREIRA, Vanja. Atividade física na 3ª idade: o segredo da longevidade. - Rio de Janeiro: Sprint, 2003.

FURASTÉ, Pedro Augusto. Normas Técnicas para o Trabalho cientifico: Elaboração e Formatação. Explicitação das Normas da ABNT. 14ª ed. Porto Alegre: BRASUL, 2005.

GALLAHUE, David. L; OZMUN, John C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. 2. ed. São Paulo: Phorte, 2003.

GÉIS, Pont Pilar. Atividade Física e Saúde na Terceira Idade: Teoria e Prática - 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2003

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 2. ed. - São Paulo: Atlas, 1999.

HOFFMAN, Shril J. e HARRIS, Janet C. Cinesiologia: o estudo da atividade Física. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SAMULSKI, Dietmar. Psicologia do Esporte. São Paulo: Editora Manole Ltda, 2002.

MACHADO, Afonso Antonio. Psicologia do Esporte: Temas Emergentes, 1ª. Ed. - jundiaí: Ápice, 1997.

MANIDI, M.J. / MICHEL, J.P. Atividade Física para Adultos com mais de 55 anos, Quadros Clínicos e Programas de Exercícios - São Paulo, SP: 1ª ed.: Manole, 2001.

MATSUDO, Sandra Marcela Mahecha. Envelhecimento & atividade física. Londrina: Midiograf, 2001.

MAZO, Giovana Zarpellon. Atividade Física e o idoso: concepção gerontológica. 2ª ed. - Porto alegre: Sulina, 2004.

MEIRELLES, Morgana, A. E. Atividade Física na Terceira Idade: uma abordagem sistêmica. 3. ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2000.

MORENO, Guilherme. Terceira Idade: 250 aulas - Rio de Janeiro, RJ: 2ª ed.: Sprint, 2003.

NOVAES, Maria Helena. Psicologia da Terceira idade: Conquistas possíveis e rupturas necessárias.  2. ed. Aumentada. - Rio de Janeiro: NAU, 2000.

RAMOS, Alexandre Trindade. Atividade Física - diabéticos, gestantes, terceira idade, crianças e obesos. - Rio de Janeiro, RJ: 3ª ed.: Sprint, 2002.

RODRIGUES, Partezani Aparecida Rosalina. Como Cuidar dos Idosos. - Campinas, SP. 3ª ed.: Papirus, 1996.

22/10/2008 04:09 ucha #. sin tema

Comentarios » Ir a formulario

No hay comentarios

Añadir un comentario



No será mostrado.





La Bitácora del Dr. Ucha

Temas

Archivos

Enlaces


Blog creado con Blogia. Esta web utiliza cookies para adaptarse a tus preferencias y analítica web.
Blogia apoya a la Fundación Josep Carreras.

Contrato Coloriuris